Os turistas podem aproveitar épocas distintas que ocorrem no Pantanal: de inundação ou de seca. Nos dois períodos a região oferece diversas belezas naturais e opções de passeio.

Quem está prestes a decidir um destino de viagem dentro do país, deve conhecer as opções incríveis do Pantanal Mato Grossense. São inúmeras opções recheadas de beleza: fazer um safári para observar animais selvagens, cavalgar para contemplar planícies de belezas de tirar o fôlego, acompanhar o pôr do sol em um passeio de canoa ou fazer uma caminhada pela floresta, onde você terá um contato mais íntimo com a natureza.

O Pantanal é a maior planície inundável do planeta e apresenta extremos durante as estações do ano: ora está em seca, ora está inundado. Ao visitar o local, avalie bem o período, para que sua viagem não seja frustrada.

Na estação da seca, que acontece de abril a setembro, as opções mais interessantes são os safaris para observação das espécies locais, como mamíferos e aves, que começam a habitar as planícies. A vegetação, antes verde, agora fica marrom e árida. Cenário que lembra muito um safári na África. Nessa época também ocorre um dos eventos mais incríveis que o Pantanal oferece: a floração das Púvias (Ipês). Todo o cenário torna-se roseado por uma semana. O evento ocorre no final do mês de julho ou no começo de agosto.

Logo após a floração do Ipê rosa, uma árvore semelhante ao Ipê conhecido como para-tudo colore o cenário de amarelo também por uma semana. E estação da seca também oferece alguns perigos: no meado de setembro, a seca chega ao seu auge e o capim fica tão esturricado que um raio pode começar um incêndio devastador a qualquer momento.

Depois do auge da seca, a estação da cheia traz de volta a água que renova o ciclo da vida no Pantanal. A estação ocorre entre outubro e março. As plantas então voltam à coloração verde e as aves que se reproduziram durante a seca, aproveitam a fartura de frutos para alimentar os seus filhotes recém-nascidos.

As planícies mais baixas, agora inundadas, possuem um espelho d’água que proporciona o pôr do sol mais bonito do ano. Os mamíferos se afastam dos alagadiços, deixando o local para espécies como cegonhas, jacarés, patos e peixes que lutam pela busca de alimentos, por entre as espécies multicoloridas de plantas que se desenvolvem nos alagadiços.

Quem deseja conhecer o Pantanal pode hospedar-se em uma das inúmeras pousadas do local, que oferecem pacotes de 3 a 5 dias, que podem incluir itens comuns como café da manhã e almoço, e alguns casos, pacotes especiais oferecem o transfer entre o aeroporto e a pousada e alguns passeios pelo local.

A melhor época vai depender do que você deseja contemplar no local, já que o Pantanal é um local de grandes extremos. Mas a época de alta temporada é a de julho a setembro (seca), onde mais pessoas procuram o local, fazendo com que os preços subam mais. Se escolher esse período é preciso levar roupas de frio, pois as temperaturas podem cair muito durante a noite.

Quem desejar ainda mais belezas naturais pode fazer outros roteiros: Amazônia, Pantanal Norte, Chapada dos Guimarães, Pantanal Sul ou Bonito.

Por Patrícia Generoso

Turismo no Pantanal


Brasil subiu 23 posições no ranking mundial, atingindo a 28ª posição em competitividade do turismo. Itens que influenciaram tal melhoria foram a infraestrutura aeroportuária, a infraestrutura turística e a competitividade dos preços.

O Brasil teve uma surpreendente melhoria no ranking mundial de competitividade do turismo. Essa melhoria da colocação do país ocorreu principalmente devido ao fato de que as obras feitas para recepcionar a Copa do Mundo e as Olímpiadas de 2016 melhoram sobremaneira a infraestrutura do País para o setor do turismo. O país saltou nada mais nada menos do que 23 posições no ranking, haja vista que ele era apenas o 51º colocado e agora é o 28º país com a economia mais competitiva do turismo mundial.

Esse ranking mundial é feito por meio de um estudo elaborado pelo Fórum Econômico Mundial, em que são analisadas 14 dimensões relacionadas ao turismo e ao todo são avaliados 140 países espalhados pelo mundo. Conforme pôde ser verificado neste último resultado, o Brasil aparece em primeiro lugar na América Latina com dois lugares acima do segundo colocado da América Latina que é o México que ocupa o 30º lugar.

Os principais pontos fortes do turismo brasileiro elencados nos relatórios desta pesquisa foram os recursos naturais, quesito este em que o país ganhou em primeiro lugar, outro fator que ajudou sobremaneira a melhoria de colocação do País foi o quesito recursos culturais, o qual o país ficou com a oitava colocação, sendo que esta posição ficou 15 colocações acima daquela que havia sido registrada no relatório da pesquisa anterior que foi publicada no ano de 2013.

Entre os itens que foram considerados com maior evolução no País foram a infraestrutura aeroportuária, a infraestrutura turística e a competitividade dos preços.

Contudo, como nem tudo são flores o País caiu em alguns quesitos, tais como, abertura internacional, ambiente de negócios e segurança.

Essa melhoria de colocação foi considerada como um estímulo, pelo governo brasileiro, a fim de que os pontos detectados como negativos sejam aperfeiçoados, pois o País não pode se acomodar, tendo em vista que ainda há muito a ser feito para que alcance posições ainda melhores neste ranking.

Par quem ficou curioso, os dez primeiros colocados neste ranking foram, respectivamente, os seguintes Países: Espanha, França, Alemanha, Estados Unidos, Reino Unido, Suíça, Austrália, Itália, Japão e Canadá.

Por Adriano Oliveira

Turismo no Brasil

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: