Passaporte Brasileiro – Países que Não Exigem Visto

  


Saiba aqui quais países não exigem visto de brasileiros.

Os brasileiros adoram viajar para o exterior e muitas pessoas planejam suas viagens sem ter certeza ou verificar a obrigação de visto de turista para o país de origem e no caso de ausência de visto, quanto tempo é permitido permanecer no país escolhido, ou seja, muitos pontos devem ser averiguados antes de fechar as malas e seguir para a viagem. O tempo pré-determinado para permanência no local escolhido depende da intenção do viajante – turista ou estudo/trabalho. Tem dúvidas? Então continue lendo e esclareça suas dúvidas.

Para facilitar sua viagem, aqui vamos mostrar quais países exigem o visto e quanto tempo você pode permanecer com o visto de turista ou de estudante.

Como a maioria já sabe, os países que fazem parte da União Europeia e Mercosul, mais os países como México, Rússia, Israel, e Reino Unido não pedem visto de brasileiros.

Em nove países da América do Sul, brasileiros podem entrar usando apenas o RG, são eles: Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

Veja também:  Turismo na Suíça - Viagem para Genebra, Zurique e Berna são ótimas opções

Quando a passagem já está marcada é preciso ficar atendo aos prazos para a retirada de visto para os países que exigem.

Segue a lista das regiões e países que não exigem mais visto para os brasileiros:

África

África do Sul, Botsuana, Ilhas Seychelles, Marrocos, Namíbia e Tunísia.

América Central

Belize, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua e Panamá

América do Norte e Caribe

Antígua e Barbuda, Aruba, Bahamas, Barbados, Curaçau, Domínica, Granada, Haiti, Jamaica, México, República Dominicana, Santa Lúcia, São Cristóvão e Nevis, São Martinho, São Vicente e Granadinas e Trinidad e Tobago

América do Sul

Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela

Ásia

Cazaquistão, Cingapura, Coreia do Sul, Filipinas, Hong Kong, Ilhas Maldivas, Israel, Macau, Malásia, Mongólia, Tailândia e Turquia

Europa




Albânia, Alemanha, Andorra, Armênia, Áustria, Belarus/Bielorrússia, Bélgica, Bósnia e Herzegovina, Bulgária, Chipre, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Geórgia, Grã-Bretanha, Grécia, Holanda, Hungria, Irlanda, Islândia, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Macedônia, Malta, Mônaco, Montenegro, Noruega, Polônia, Portugal, República Tcheca, Romênia, Rússia, San Marino, Sérvia, Suécia, Suíça, Ucrânia e Vaticano.

Veja também:  Países Mais Visitados do Mundo

Oceania

Ilhas Fiji, Ilhas Tuvalu, Micronésia, Nauru, Nova Zelândia, República do Palau, Samoa e Tonga.

Estes são alguns dos países que não exigem visto. Porém, quem deseja ir a alguns destes lugares apenas para conhecer, pode ficar até 180 dias à depender do lugar, para trabalho ou estudo as regras mudam: variam entre 30 e 90 dias ou até a necessidade de visto para permanecer legalmente no país, para maiores informações a indicação é que o interessado procure da embaixada do país de origem para tirar todas as dúvidas e conseguir autorização para permanecer no país sem maiores problemas.

A Europa é uma das regiões que menos exigem o visto para entrada nos países. Apesar da ausência de visto, não há tanta facilidade em permanecer nos países. Países como Alemanha, França e Espanha, é preciso que o turista mostre a passagem de volta para o Brasil, além da comprovação de renda para ficar os dias programados no país.

Veja também:  Turismo em Dubai - Viagem pelos Emirados Árabes mostra Riquezas da Região

O Egito, por exemplo, o visto para permanência no país é tirado no próprio aeroporto de Cairo, de forma tranquila.

É importante lembrar que além do visto, cada país possui suas regras para entrar e sair do local.

Se está planejando sua viagem, fique atento as exigências e a validade do passaporte, que é seu cartão de embarque e também pode atrapalhar a tão sonhada viagem.

Fique atento a datas e limite de tempo para permanecer no país de origem e não correr o risco de deportação e acabar com a viagem antes do previsto.

Fabiane de Barros Coelho






Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *