Bagagem de Mão – Medidas Permitidas das Malas





Saiba aqui quais são as medidas permitidas para a Bagagem de Mão.

Um dos maiores transtornos em termos de viagens aéreas é a questão de acomodação das bagagens. Neste artigo o leitor será orientado a proceder de modo prático e vantajoso.

Todo controle de bagagem de mão, em termos de tamanho e peso, era, ainda há pouco tempo, realizado no próprio portão de embarque. Com a mudança sobre a lei, esse mesmo controle passou a ser realizado antes da entrada da mesma na área de embarque.




Embora pareça algo simples, não é bem assim.

As pessoas poderão se orientar, agora, nesse esquema:


Todos estão acostumados a parar naquele ponto, em que os colaboradores do aeroporto efetuam a leitura óptica sobre o cartão de embarque. Desde a mudança, o procedimento se dará um pouco antes desta etapa.

Neste momento, todos os funcionários trabalham no controle “educativo” de bagagens, por meio da utilização de uma espécie de gabarito que apresenta a cada passageiro se a sua bagagem está ou não fora do padrão de tamanho. Sendo isso um problema.

Veja também:  Como Escolher a Mala de Viagem Ideal

Assim que for encerrada esta etapa, por assim dizer, “educativa”, cada passageiro que portar uma bagagem que exceda o tamanho padrão deverá retornar ao setor de “check-in” para realizar o despacho da mesma.

Dica: é importante conhecer o padrão exigido fazendo uso de uma fita métrica de modo a conferir, com precisão, se a bagagem a ser levada passará ou do controle pré-existente nos aeroportos.

Existe a chance de ser revogada esta norma, e a gratuidade de despacho de malas seja novamente uma realidade nos aeroportos, sem nenhum tipo de tarifa (tema ainda em discussão no Congresso Nacional), porém, ainda é melhor a experiência da praticidade de optar por viajar apenas com bagagem de mão, no sentido de evitar todo esse transtorno de despachos. Bagagens de maior porte, para despacho, só em caso de muita necessidade.

Veja também:  Tamanho da Bagagem de Mão - Início da Fiscalização

Foi divulgada, por meio das companhias aéreas brasileiras, a unificação destas medidas que são padrão. Uma bagagem de mão que pode acompanhar o passageiro a bordo deve medir, no máximo, 55 cm de comprimento, levando em conta que esta medida abrange as rodinhas (se houverem), sendo de 35 cm na largura e mais 25 cm em sua profundidade. Mala compacta.

Entretanto, neste padrão existe certa discrepância, sobretudo em relação às medidas comumente aceitas nas companhias aéreas europeias. No continente europeu, por exemplo, o padrão de medida é o seguinte: 55 cm por 40 cm na largura por 20 cm na profundidade da mala, sendo a soma total de 115 de padrão, abrangendo, também, os modelos de malas produzidas no Brasil.

Mas, de acordo com especialistas no assunto, o padrão das malas produzidas na Europa não se enquadra no “gabarito brasileiro”, o qual está firmemente estabelecido de modo que caibam até três malas em cada compartimento, em relação aos modelos de aviões mais utilizadas em rotas nacionais.

Veja também:  Azul ofertará voos para novos destinos brasileiros

Dica: o melhor jeito que alguns encontram para aliviar esse transtorno está em acondicionar a mala, no bagageiro, na posição popularmente conhecida como “de comprido”, isto é, estando as rodinhas voltadas para trás.

Este pode ser um método bastante útil quando se embarca em aviões muito utilizados, principalmente nas rotas domésticas, nos quais é possível acondicionar até três malas em cada compartimento. Em geral, nestes modelos de aeronave só há espaço para uma bagagem por passageiro, conforme o padrão do gabarito.

Outra vantagem de se posicionar uma mala com as suas rodinhas voltadas para trás, é a de que a mesma está acondicionada de modo a ser retirada pela própria alça. Prático e sem muitos incômodos.

Paulo Henrique dos Santos



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *