Estaria a reocupação dos hotéis começando?



O setor hoteleiro tem passado pelo seu período mais crítico dos últimos anos. A crise provocada pela pandemia do novo coronavírus fez com que hotéis de todos os cantos do país ficassem vazios fazendo com que trabalhadores fossem demitidos ou que recebessem férias coletivas.

O cenário é agravado ainda mais em decorrência do aumento dos casos de covid em várias regiões. Especialmente nos grandes centros urbanos, as ocupações da rede hoteleira continuam baixas.



Algumas empresas estão buscando retomar seus trabalhos, entretanto, a insegurança sanitária ainda é um obstáculo para viagens de negócios, o que torna ainda mais difícil a situação, uma vez que esse setor (negócios) deveria ser o primeiro a começar a ajudar os hotéis em uma possível recuperação.

Perspectivas e desafios para a recuperação do setor hoteleiro

Mesmo considerando as dificuldades do atual cenário, há um fator que pode ser considerado como positivo: apesar de muito cuidadosos, os investidores continuam analisando a possibilidade de novos negócios.



Apesar da revisão no cronograma dos hotéis que estão em desenvolvimento, a maioria continua com a estruturação como planejado. Entre os novos investimentos, os cuidados por parte dos investidores são um pouco maiores.

O fato é que, enquanto não for possível perceber um ritmo claro de recuperação, as oportunidades de investimento ainda serão analisadas a partir de um ponto de vista mais conservador e mais lento.

Confiança na recuperação do setor

Uma vez que o setor hoteleiro tem adotado uma série de medidas envolvendo a readequação das operações, a expectativa é que, gradativamente, haja uma recuperação da hotelaria. Não há um cenário bem desenhado sobre quando isso começará a ocorrer.

Leia também:  Viagem Grátis para o Taiti - Saiba como ganhar

Porém, é necessário ter em mente que o Brasil é um país que está em processo de desenvolvimento e o atual cenário de crise pode contribuir para a aceleração de medidas, aprovação e implantação de projetos que tornem o ambiente econômico mais favorável para uma possível recuperação.

Vagas corporativas devem ajudar na recuperação

Como apontado, as vagas nos hotéis continuam baixas. Entretanto, as equipes comerciais e de atração tem se empenhado muito. Algumas pesquisas indicam que pode haver uma intensificação da retomada das viagens corporativas a partir de setembro de 2020.

Com isso, espera-se que, em breve, seja possível analisar com mais clareza como se dará o crescimento das ocupações dos hotéis no país. Mas vale lembrar que, para isso, é essencial que uma tendência imediata de novos casos de contágio e mortes provocadas pelo novo coronavírus apresentem uma queda em todo o território nacional.

Compensação do prejuízo

A compensação dos prejuízos é um ponto sensível, mas muito importante no que diz respeito à recuperação econômica do setor hoteleiro. Espera-se que as coisas comecem a melhorar entre o final de 2020 e o primeiro trimestre de 2021. Entretanto, não se deve esperar grandes mudanças e sim, um cenário moderado.

Preparação dos hotéis para o período imediato pós-crise

Vários grupos hoteleiros estão adotando novas medidas e uma programação específica de atuação, dentro de suas possibilidades, para os primeiros meses após o fim do isolamento e das medidas restritivas.

Nesse sentido, destacam-se os procedimentos abrangentes relacionados à segurança e a saúde, o que inclui o respeito às leis locais. Ações internas, como a redução dos serviços de bar, restaurantes e amenidades nos quartos dos hóspedes, também têm sido adotadas.

Leia também:  Turismo na Gruta do Lago Azul - Bonito (MS)

Há hotéis que têm permitido a flexibilidade das reservas, tanto existentes quanto futuras, priorizando atendimentos virtuais.

Equipes de limpeza estão passando por treinamentos seguindo as recomendações de organismos de saúde mundiais para situações como a atual. Além disso, praticamente todos estão envolvidos em novas linhas de abordagens para a proteção dos próprios funcionários.

O fato é que o setor hoteleiro tem um papel de peso na economia de várias regiões. Sua recuperação pode ser lenta e ainda incerta, mas é fundamental.

Por Denisson A. Soares

Próximo Post

Não há mais posts

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *