Onde Comer em Salvador – Melhores Restaurantes





Confira aqui os melhores restaurantes para se comer em Salvador (BA).

Primeira capital do Brasil, Salvador tem uma identidade cultural bem conhecida por brasileiros e estrangeiros. Uma cidade cheia de histórias para contar e com forte influência africana, a gastronomia certamente teria de ser uma das mais ricas.

Para quem está indo pela primeira vez a Salvador, não precisa temer a pimenta e o dendê, há medidas e gostos para todo tipo de freguês. Confira abaixo como conhecer a cultura soteropolitana, através de uma das manifestações culturais mais conhecidas da cidade: a culinária;




Moquecas

Você está em uma cidade banhada pela Baía de Todos os Santos, em um litoral incrível, com certeza vai querer experimentar o que o mar tem melhor para oferecer.

No Restaurante do Senac, que fica situado no Pelourinho, você encontra uma mostra do que há na culinária baiana. As receitas são preparadas de forma autêntica. Eles oferecem 14 variações de moquecas incluindo mexilhaozinho, bacalhau e sarnambi, e claro não poderia faltar, moqueca de camarão, siri, polvo, lula e também ovos, bem comum em Salvador.

Veja também:  Praia do Forte - Bahia - A Polinésia Brasileira

Para complementar o prato com essa pegada africana, temos caruru, vatapá, xinxim, acarajé, efó e abará. Não poderia faltar as tradicionais maxixadas, quiabadas, arroz de hauçá, dobradinha, paçoca, feijão de leite, farofa de dendê, arroz de coco e pirão. Para sobremesa as escolhas ficam entre quindins, cocadas, doces com caldas saborosas e outras tentações.

É bom visitá-lo com tempo e apreciar os casarões e igrejas do Pelourinho.

Restaurante Yemanjá

Se preferir um ambiente menos voltado aos turistas pode almoçar onde as famílias soteropolitanas já almoçam há 50 anos. O salão é amplo e o serviço muito bom.

Ki-Mukeka

Bem mais popular o Ki-Mukeka serve porções fartas da tradicional moqueca baiana com preços justos.

Dona Mariquita

No bairro boêmio do Rio Vermelho o Dona Mariquita é considerado uma dos grandes restaurantes da cidade. A chef Leila Carreiro se dedica a cozinha patrimonial baiana, garimpando receitas quase extintas e acrescentando seus toques originais.

Veja também:  Quando Viajar e Como Economizar Dinheiro para Viagem

A marca registrada da Chef do Dona Mariquita é sem dúvida a poqueca de camarão, que consiste em uma espécie pirão com moqueca servida numa folha de bananeira. As moquecas clássicas trazem versões com maturi, moqueca de banana ou coco verde com jaca. O vatapá de casa é feito com fruta pão. O acaçá de leite de coco com milho branco pode aparecer em pratos doces ou salgados.

Acarajé

Visitar Salvador sem experimentar acarajé é um grande pecado. Comida ritualística das religiões de matriz africana, o bolinho de fogo ganhou a rua com a autorização da sua divindade. O bolinho é feito de feijão fradinho, sal, cebola e frito em azeite de dendê bem quente.

Ele pode ser recheado a moda do freguês e a baiana, devidamente trajada, irá perguntar se o cliente quer vatapá, camarão seco, caruru, vinagrete (salada) e pimenta. Cuidado, a pasta de pimenta feita pelas baianas de acarajé são bem picantes, peça só uma meladinha, como se costuma dizer em Salvador.

Veja também:  Carnaval de Salvador 2018 - Programação e Atrações

Os tabuleiros mais famosos de Salvador são: o Acarajé da Cira em Itapuã, o Acarajé da Tania no Farol da Barra e o Acarajé da Dinha no Rio Vermelho.

Outras culinárias

Nem só de dendê vive a culinária local, se você quer conhecer os restaurantes frequentados pela elite da cidade, o Soho é uma opção, com uma bela varando sobre o mar e sushis super diferentes.

Tem também o Amado, que fica num antigo armazém do porto. Antes de você pedir purê de couve flor com vieiras ou risoto de carne seca e feijão ao nhoque de aipim com costela de cordeiro, beba um drink na varanda que fica debruçada sobre a Baía de Todos os Santos.

A cada canto da cidade é possível descobrir uma experiência gastronômica fantástica, então não esqueça de aplacar o calor, tomando um sorvete na Cubana, a sorveteria mais antiga da capital baiana.

FABÍOLA CUNHA S DE MORAES



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *