Ok, decidiu-se finalmente em conhecer o paraíso Cavalcante, no planalto Central do Brasil? Então siga o roteiro gastronômico da coluna, pois estes dois locais nunca mais sairão da imaginação dos visitantes:

Reserva Bacupari

O local serve bolos, geléias, sucos e outras maravilhas preparadas com frutos, ervas e castanhas da região. Prima pela exploração sustentável do cerrado. 

Site: www.reservabacupari.com.br

Pizza Roots

Entre pizzas e mais pizzas de massa fina tem duas que são de lamber os dedos. A Vão de Almas é feita de abobrinhas com gorgonzola e pimenta. A São Jorge é feita a base de berinjela e agridoce.

Telefone (62)99595233

Passem na reserva e na Pizza Roots e ENJOY!

Por Teresa Almeida


Se você resolver visitar Cavalcante no Cerrado do planalto central, segue umas dicas de roteiro:

Pousada Vale das Araras

Fica na estrada Cavalcante – colinas do sul, km 362

Uma pousada repleta de bangalôs imersos dentro da reserva Particular de Patrimônio Natural Vale das Araras. Não há televisão, celular e nem internet. A graça lá é cultuar a natureza e todo seu esplendor. Se resolver conferir o telefone da pousada é (62)6654447

Pousada Aldeia Cayana

Fica na estrada Cavalcante – colinas do sul, km 4

A pousada possui chalés duplos, de natureza rústica que foi construído pelos antigos habitantes da região. Os chalés circundam um carvoeiro – a árvore típica do cerrado.

Interessado? Ligue para (61)99868806

Por Teresa Almeida


Escondida do outro lado da Chapada dos Veadeiros, Cavalcante é um recinto de calmaria exuberante no cerrado brasileiro.

Uma das primeiras cidades do estado de Goiás que ao contrário do que se possa imaginar, tem muita, mas muitaaaa água. É uma cidade repleta de altos e baixos, com diferenças gritantes de altitude, variações climáticas confusas (uma época do ano é de seca e na outra só chove), além de possuir uma das maiores biodiversidades do planeta.

É uma cidade que é 8 ou 80 e abriga o parque nacional da Chapada dos Veadeiros, considerado patrimônio mundial natural pela Unesco.

Além disso o isolamento chega a ser paradisíaco. Poucos carros chegam até a região e os cidadãos caminham pela estrada sem se preocupar em olhar para trás. Um pedaço de paraíso perdido no cerrado brasileiro.

Por Teresa Almeida





CONTINUE NAVEGANDO: