Confira o limite de gastos e de quantidade de cada item

Você está planejando viajar para o exterior e pretende fazer compras lá fora? Antes de chegar a outro país, se empolgar e sair comprando, é importante estar atento ao limite de gastos que você pode atingir para evitar possíveis problemas com muitas e com a alfândega. Assim, você pode aproveitar a viagem sem maiores preocupações.

É praticamente impossível viajar e voltar sem pelo menos algumas lembrancinhas. Há limites diferentes para cada categoria de produtos que os turistas brasileiros podem comprar nos Estados Unidos ou na Europa. Confira abaixo tudo que você precisa saber sobre o limite de compras no exterior!

Quanto você pode gastar?

Os brasileiros que viajam de avião para o exterior podem gastar, no máximo, US$ 500 em compras, correndo o risco de ter que pagar uma multa de até 50% em relação ao valor excedente. Em se tratando de viagens por navio ou via terrestre, o limite de gastos é de US$ 300.

Porém, desde o mês de outubro de 2010, as máquinas fotográficas, celulares, roupas, cosméticos, calçados e relógios são considerados itens de uso pessoal, logo não precisam ser declarados, pois não entram na cota de isenção. Mas, existe um controle de quantas unidades de cada item que é possível trazer para o Brasil.

Quantidade de produtos que podem ser comprados no exterior

Lentes e demais equipamentos fotográficos: a quantidade máxima depende do valor, mas não é indicado comprar mais de 10 itens, nem mesmo sendo de tipos ou marcas diferentes. Esses artigos entram na cota de US$ 500, a não ser que haja a comprovação de que foram comprados para uso profissional.

Câmera fotográfica e celular: pode-se comprar 1 item desse por pessoa, e não faz parte da cota de US$ 500, visto que são classificados como objetos de uso pessoal, independente do valor ou modelo, mas devem estar fora da embalagem e usados.

Notebook, videogame e outros eletrônicos: o turista brasileiro pode comprar 1 de cada tipo por pessoa. Essas mercadorias fazem parte da cota dos US$ 500. Por questões de protecionismo, o Ministério da Fazenda não liberou esses itens.

Câmera filmadora: é possível comprar até 2 câmeras por pessoa. O artigo entra na cota dos US$ 500. Se a câmera filma e fotografa, ela será classificada como câmera fotográfica, ou seja, um produto de uso pessoal.

Roupa e calçado: ao viajar para o exterior, os brasileiros podem comprar, no máximo, 3 tipos de cada produto. Nesse caso, os itens não entram na cota dos US$ 500, sendo considerados objetos de uso pessoal, desde que condiga com o passageiro e o tipo de viagem realizada.

Relógio: os viajantes podem comprar 3 itens por pessoa. Os artigos não entram na cota de US$ 500, uma vez que também são considerados de uso pessoal.

Cosméticos: não há uma quantidade oficial determinada para a compra desses produtos, mas é recomendado trazer até 10 unidades da mesma mercadoria. Esses itens não entram na cota de US$ 500, sendo de uso pessoal. Porém, o ideal é não exagerar para não ter que arcar com tributos aos chegar no Brasil.

Cigarro: é autorizada a compra de até 10 maços no exterior, sendo possível acrescentar mais 20 maços no Duty Free. Os cigarros fazem parte da cota dos US$ 500, apenas os maços adquiridos no Doty Free não serão tributados.

Bebidas: para esses itens, o turista pode comprar 12 litros no exterior, tendo a oportunidade de adicionar mais 24 garrafas no Duty Free. Os produtos fazem parte da cota dos US$ 500, apenas as garrafas compradas no Doty Free não são tributadas.

Agora que você já sabe o seu limite de compras no exterior, o ideal é se planejar para não arcar com impostos muito altos.

Por Simone Leal

Compras no Exterior


Dicas de Lojas Físicas para compras no Exterior.

Quando as pessoas estão realizando excursões fora de seus países, além de experimentarem ao vivo o prazer das mais belas paisagens e culturas de outras nações, uma parte das viagens se realiza pela aquisição de bens no exterior. Assim, fazer compras nos Estados Unidos está entre os assuntos sempre em alta, no seio do típico povo brasileiro que costuma se deslocar com frequência para aquela nação. Se as escolhas de viagens se destinam a Nova York, a Orlando, a Las Vegas, a Califórnia ou ao Texas, o que quer que se possa comprar nessas regiões é sempre cobiçado.

Entre as melhores áreas de comércio, as mais movimentadas estão as cidades de Miami e Orlando, onde os turistas podem encontrar grandes shoppings, inclusive muito próximos um ao outro, congestionando as duas cidades com comércios voltados para turistas.

Na cidade de Nova York o viajante pode se encontrar no cerne de uma das maiores metrópoles do mundo. Nela o turista não encontrará shopping centers, mas, cadeias de lojas instaladas em prédios, como também áreas recheadas de lojas de todos os tipos.

Se o turista decidir ir para a capital, Washington DC, ele testemunhará o mesmo esquema de comércios. Entretanto, nas cidades próximas a esses grandes centros é possível encontrar shoppings de verdade, e maiores que os do Brasil, entre as butiques.

Mais próximo de Washington existe o famoso Pentagon Center, em Pentagon City. Em geral, os bens mais adquiridos são roupas, assim, a organização dos shoppings é a de expor as coleções mais atualizadas nas lojas, além de grande variedade de outros tipos de mercadorias. É fato que os bens custam muito mais caro na América do norte, sendo que os preços, em geral, serão mais salgados quando os turistas decidem comprar nos outlets, ou nos pontos de venda.

Existem ainda as grandes cadeias de comércios como a Premium Outlets e também a Tanger Outlets, além de redes independentes, tais como o Jersey Gardens, entre outras opções.

Entre as famosas lojas de departamento, verdadeiros shopping centers, há em Nova York duas das mais frequentadas por turistas de todo mundo, a Century 21 e a Macy’s. Tanto a Walmart como a Target estão entre as melhores lojas desse setor, dispondo à venda todo tipo de bens. Outras opções são a Best Buy e a Fry’s, que constituem comércios próprios de eletrônicos. Para quem busca artigos para o lar, há a loja Bed Bath and Beyond. Existem, também, comércios que trabalham com descontos, tais como a Marshalls, a Century 21 e a Ross Dress for Less. Outra dica importante é buscar nas próprias lojas informações sobre as taxas e os impostos sempre cobrados.

O mesmo tipo de precaução é recomendado para turistas que vão para a Europa, onde a quantidade souvenirs de diversos tamanhos é grande. Quando as pessoas viajam para outros países, em geral, elas não guardam apenas fotos e memórias, elas desejam adquirir bens de todos os tipos, ou comprar presentes para seus entes queridos, tais como: camisetas do tipo I Love NY, pequenas réplicas da Torre Eiffel ou mesmo chocolates belgas, enfim, uma série de objetos que terão que ser bem organizados nas malas.

Esta é outra dica importante, na hora das compras, já que as pessoas tendem a se empolgar muito, a comprar compulsivamente sem meditar sobre os custos e sobre como carregar tudo na hora de voltar para os seus países de origem. Como já foi indicado, é importante pesquisar bastante, antes de adquirir qualquer coisa, além de consultar os melhores preços.

Se a pessoa está em condições de gastar bastante e pretende comprar um mundo de coisas para levar ao Brasil, é bom estar ciente de levar malas maiores, e estar preparado para arcar com os custos de peso das bagagens.

Outra dica importante é que os viajantes tratem de experimentar, testar tudo o que compram. Em muitos países os impostos não estão implícitos nos preços dos produtos, portanto, perguntar aos comerciantes nunca é demais. É válido utilizar outros modos de pagamento, exigir nota fiscal e cuidar com o acesso de bagagem e de peso.

Por Paulo Henrique dos Santos

Compras no Exterior


Confira alguns sites confiáveis e renomados para fazer suas compras online no Exterior.

Um dos assuntos mais corriqueiros quando a pauta é compra pela internet é a segurança. Quando colocamos isso em nível internacional, as coisas ficam ainda mais intensas, mas não se preocupe, pois nós preparamos para você uma série de informações sobre onde fazer compras no exterior de forma online. Confira.

Lista de 4 sites para importar produtos do exterior

Amazon

Você, com certeza, já ouviu falar sobre a Amazon! Se você nunca comprou nada pela internet vindo de tão longe, esse site com certeza é o mais indicado. Por ser uma loja muito conhecida, é muito fácil comprar através dela. Comprando na Amazon, você possui garantia de que a sua entrega vai chegar, além de possuir também a assistência, não dependente de onde venha o seu produto.

Para o Brasil, o site traz apenas CD's, livros, DVD's, vinis etc. No caso da compra de outros itens, é corriqueiro que haja o encaminhamento para sites avulsos, como é o caso do Envio Direto. Aqui as coisas podem ser um pouco mais complicadas, mas ainda assim vale a pena.

O site do Envios Diretos ajuda plataformas que não fazem envio para o Brasil, portanto é bem útil. A marca Forever 21 é um exemplo bem claro disso, já que antes de abrir loja em território nacional, não havia um jeito de adquirir os produtos se não viajasse para algum lugar onde houvesse loja física. A taxa cobrada é bem barata a ponto de compensar mais que comprar aqui no Brasil. Funciona assim: você compra em sites que não entregam no Brasil e manda para um determinado endereço fornecido pelo Envios Diretos. De lá, eles provam que está tudo ok com seu pacote e enviam para o Brasil.

Ebay

Quando você busca um produto nesse site, vai ter uma lista deles. Olhe sempre o status do vendedor, não atendendo de cara ao preço mais atrativo. Considere o número de vendas feitas pelo vendedor, bem como a porcentagem positiva que ele possui. Não adianta ter um alto índice de porcentagem positiva com poucas vendas, por exemplo. Leia o feedback dos clientes.

Quando os produtos têm preço muito acima da média, o frete geralmente é gratuito. Os mais confiáveis são os produtos da lista chamada Buy it now e também vendedores que possuam status intitulado como Top-rated seller.

Aliexpress

O diferencial desse site é que ele aceita além do cartão de crédito, pagamento em boleto, o que ajuda muito para quem não trabalha com essas linhas de crédito oferecidas peloS bancoS e prefere pagar as compras em dinheiro. Veja também a avaliação dos vendedores e fique de olho no tamanho das peças que vai comprar, pois como a maioria dos produtos são chineses, o parâmetro deve ser considerado.

Para fazer suas compras online em lojas do exterior, nós damos algumas dicas:

  • Faça comparação de preços;
  • Se possível, não fique na dependência da garantia da mercadoria;
  • Olhe sempre a quantidade de compra;
  • Não compre em sites desconhecidos.

Não saia comprando no primeiro site que achar, pesquise e faça comparações. Sobre a garantia, não é bom depender dela, pois mandar o produto para fora do Brasil para assistência pode ter um custo maior do que o do próprio produto. As quantidades devem ser analisadas, pois se forem muitos produtos eles podem ser barrados na Receita, sendo classificados como itens para comércio (compra em atacado).

Acerca dos sites, compensa mais pagar um pouco mais e saber que seu produto vai chegar, que será o que você espera e que está em bom estado, do que ter apenas insatisfações e nem ter onde reclamar.

Por Carolina B.

Compras no Exterior


Confira aqui algumas dicas caso esteja planejando imigrar e morar no Canadá.

Se mudar de país seja para estudar ou trabalhar não é uma tarefa fácil. A decisão fica ainda mais complexa quando essa mudança envolve a família. As adaptações ao novo ambiente é só um dos vários obstáculos que serão enfrentados. Para imigrar legalmente é preciso atender a uma diversidade de condições que precisam ser analisadas atentamente.

Logo abaixo trazemos para você algumas dicas do que fazer e quais os primeiros passos que devem ser tomados se o plano for se mudar para o Canadá, um dos destinos mais procurados pelos brasileiros.

Imigração:

Visitar o site da imigração, em um primeiro momento, pode parecer algo de outro mundo dada a quantidade de informações que ali vamos encontrar. Mas é necessário e com o tempo dá pra se acostumar e localizar melhor os tópicos. É indicado para esclarecer algumas dúvidas mais gerais. Mas é sempre bom procurar a ajuda de uma consultoria para ficar por dentro de temas mais pontuais e específicos. Neste link você pode conferir uma lista de alguns profissionais credenciados pelo governo canadense.

Habilitação:

Antes de se mudar de fato é preciso saber se a pessoa pode morar no Canadá. Sobre este ponto o site do governo do país pode te ajudar.

Visto de Casal:

No caso de casais, um dos cônjuges entra como aplicante principal enquanto que o outro vai como dependente. É mais uma questão da legislação canadense. Por exemplo, o aplicante principal é que fica responsável por boa parte da comprovação de renda. Caso o aplicante principal vá para o Canadá a estudo, o cônjuge não precisa tecnicamente ir também estudar. Aliás, ele ainda pode trabalhar legalmente no país. Acesse esse site e veja como pode ser feita a comprovação de renda pelo aplicante principal.

Visto dos filhos:

O casal pode fazer uso do sistema Express Entry ou até mesmo algum outro tipo de aplicação destinado a imigração. Se tiver filhos vale também buscar o visto de turismo ou de visitante. Lembrando que isso já dá direito às crianças para estudar na educação pública do país, já a partir dos cinco anos.

Express Entry:

O governo canadense, desde 2015, tem feito o uso desse sistema. Basicamente ele faz a seleção de trabalhadores que querem se mudar para o Canadá. O perfil do interessado é analisado online. O cadastro pode ser acessado por empregadores e pelo governo do Canadá. Estes por sua vez, podem convidar determinados profissionais para fixarem residência do país. Aqui você pode conferir maiores informações sobre o sistema.

Documentação:

Os documentos exigidos podem variar conforme algumas situações até porque de acordo com o caso, o consulado canadense pode solicitar alguma outra documentação. De qualquer forma os principais são:

– Cópia do RG de cada membro da família

– Duas fotos 3×4

– Cópia do passaporte

– Cópias da Declaração de Imposto de Renda

– Cópias dos três últimos holerites ou pró-labores

– Extrato bancário ou aplicação fixa

– Carta convite, no caso de visita a algum parente que more no Canadá.

Visite também os links abaixo para obter maiores informações nessa nova jornada.

Site sobre imigração do governo do Canadá;

Consulado do Canadá em São Paulo.

Por Denisson Soares


Confira aqui uma lista com os melhores seguros para viagem ao exterior.

Com certeza não existe nada melhor que programar uma viagem com toda a certeza de que você e sua família estão seguros contra qualquer possível acidente ou imprevisto.

Quer viajar despreocupado, mas não sabe por onde procurar para encontrar os melhores seguros? A Proteste, Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, realizou um apanhado com as melhores propostas de seguro e as opções que oferecem a melhor comodidade para os consumidores, além de qualidade em serviço.

No mês de setembro de 2016, comparando pacotes para dois tipos diferentes de viagem para o exterior, a Proteste comparou e cotou pacotes, sendo o primeiro para a Europa, onde o valor ficou estimado em trinta mil euros, e o segundo, indo aos Estados Unidos, com o valor passando para em torno de cinquenta mil dólares. Sobre as pequisas, quarenta e seis planos, de 12 seguradoras, foram consultados.

As seguradoras pesquisadas, estão: Assist Card, MIC, , Omint, Bradesco e Itaú, Tourist Card, STB, entre outras.

Os índices usados pela Proteste vão de zero a cem e são usados para avaliar cada item de forma única dos 14 essenciais de uma viagem segura, segundo a contratação do pacote. As notas possuíram pesos diferentes para os itens, ganhando os obrigatórios o maior peso.

Segundo fontes, alguns dos itens avaliados são: traslado médico, auxílio financeiro emergencial, morte acidental, necessidade de repatriação sanitária, bagagem extraviada, o tempo estimado e demora em entrega de bagagem, cancelamento de voo, traslado de corpo, entre outras.

Segundo o técnico da Proteste, um dos responsáveis pela pesquisa, ainda que considerável e baixo, o valor pago pelo consumidor para o seguro é feito antecipadamente a viagem. Assim, houve ainda mudanças no ano de 2016, que vieram a agregar tipos de despesas, como: hospitalares, médicas e odontológicas, que não existiam até então.

As empresas que tiveram melhores resultados, considerando cenários onde foram avaliadas as cobranças feitas em dólar e euro, são: o plano AC 35 Europa, da seguradora Assist Card (dólar), e o plano Top Internacional, da seguradora Bradesco Seguros.

Para informações mais detalhadas sobre os cuidados ao contratar e sobre as responsáveis pelas melhores colocações no índice, confira o link na descrição.

Yamí de Araújo Couto


Se você está procurando por pacotes de viagem para o Brasil ou para o exterior, deve ficar ligado nas ofertas que a TAM está oferecendo.

No portal da TAM Viagens você encontra pacotes para Orlando, Buenos Aires, Paris, Maceió, Recife, entre muitos outros. Há para todos os gostos.

Confira algumas opções:

  • Pacote de 10 noites para Orlando (EUA) – Preço em 10 vezes de R$ 458,75;
  • Pacote de 04 noites para Nova York (EUA) – Preço em 10 vezes de R$ 270,81;
  • Pacote de 10 noites para Paris (FRA) – Preço em 10 vezes de R$ 494,10;
  • Pacote de 06 noites para Buenos Aires (ARG) – Preço em 10 vezes de R$ 132,40;
  • Pacote de 03 noites para o Rio de Janeiro (RJ) – Preço em 10 vezes de R$ 62,64;
  • Pacote de 05 noites para Fortaleza (CE) – Preço em 10 vezes de R$ 92,50;
  • Pacote de 05 noites para Natal (RN) – Preço em 10 vezes de R$ 136,06;
  • Pacote de 04 noites para Florianópolis (SC) – Preço em 10 vezes de R$ 44,19;
  • Pacote de 07 noites para Maceió (AL) – Preço em 10 vezes de R$ 291,13;
  • Pacote de 04 noites para Salvador (BA) – Preço em 10 vezes de R$ 101,98;
  • Pacote de 05 noites para Recife (PE) – Preço em 10 vezes de 203,48.

Programe agora a sua viagem de fim de ano. Faça a sua reserva no site da TAM Viagens – www.tamviagens.com.br.  


Quem viaja sempre quer trazer uma lembrança seja para si ou para algum familiar ou amigo. Saiba antes o que pode ser trazido na mala para não ter problemas com a alfândega.

É proibido trazer do exterior: Cigarros/ Bebidas de marca que não seja do país de origem, brinquedos ou réplicas de armas de fogo, espécies de animais silvestres sem licença, produtos falsificados e pirateados, agrotóxicos, mercadoria que atente à moral e bons costumes, substâncias entorpecentes ou drogas.

Também há um limite de US$ 500 de bens adquiridos para que não sejam tributados. Mercadorias compradas em free shops devem obedecer aos seguintes requisitos: até 24 unidades de bebidas alcoólicas, 20 maços de cigarros estrangeiros, 3 unidades de aparelhos, equipamentos eletrônicos, instrumentos ou relógios.

Para saber mais detalhes do que pode ser trazido do exterior, consulte o site da Receita Federal.

Por Monique Mota





CONTINUE NAVEGANDO: